Páginas

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Educação Não - Formal

         A educação não-formal é um processo que possui diversas dimensões como: a aprendizagem política dos direitos dos indivíduos enquanto cidadãos; a capacitação das pessoas para o trabalho, através da aquisição de habilidades e desenvolvimento das potencialidades; o exercício e aprendizagem de práticas que capacitam os humanos a se organizarem com objetivos comunitários, voltadas para a solução de problemas coletivos do dia a dia; a assimilação de conteúdos que possibilitem às pessoas lerem o mundo do ponto de vista da compreensão do que ocorre ao seu redor; educação desenvolvida na mídia e pela mídia, ganhou maior foco e desenvolvimento após a anunciação da crise da escola por Philip H. Coombs (1968).
         Diferentemente das demais modalidades educacionais, o educador é com quem se interage ou integra, ou seja, o “outro”. Os espaços educativos situam-se em locais que fazem parte das trajetórias de vida dos grupos e indivíduos, fora das escolas, em locais informais (igreja paroquial, bairro, clube, dentre outros) e lugares aonde ocorrem processos interativos intencionais (o que a diferencia da educação informal). Na educação não-formal se educa em ambientes e situações interativos construídos coletivamente, geralmente a participação dos indivíduos é opcional, porém devido a algumas situações da vida e da história de vida de cada um. Existe no ato educativo, intencionalidade na ação, no ato de participar, de aprender, transmitir ou trocar saberes. Ela capacita os indivíduos a se tornarem cidadãos do mundo, no mundo; possui a finalidade de ampliar o conhecimento sobre o mundo que circunda os indivíduos e suas relações sociais. Os objetivos da educação não-formal são construídos durante o processo interativo, surge como resultado do processo voltado para as necessidades e interesses que dele participa.
   As relações sociais são construídas com base nos princípios de justiça social e igualdade, que se presentes num grupo social, fortalece o exercício da cidadania, sua meta é a transmissão de informação e formação política e sociocultural.
Não é organizada por conteúdos, série, idade; atua sobre aspectos subjetivos do grupo; forma e trabalha a cultura política de um grupo; desenvolve laços de pertencimento; auxilia na construção da identidade coletiva do grupo; ela colabora para o desenvolvimento da auto - estima e da adesão ao grupo, gerando o capital social de um grupo. Fundamenta-se no critério da solidariedade e identificação de interesses comuns e é parte do processo de desenvolvimento da cidadania coletiva e pública do grupo.
      A educação não - formal não possui formação específica para os educadores a partir da definição de seu papel e atividades a serem realizadas, sistematização das metodologias utilizadas no trabalho cotidiano, construção de metodologias que possibilitem o acompanhamento do trabalho, criação de metodologias e indicadores para estudo e análise de trabalhos dela em campos não sistematizados, organização das formas dela na autoaprendizagem dos cidadãos.
    As metodologias utilizadas no processo de aprendizagem parte da cultura dos indivíduos e dos grupos, da problematização da vida cotidiana, os conteúdos surgem a partir dos temas que se colocam como necessidades, carências, desafios, obstáculos, ou ações empreendedoras a serem realizadas, os conteúdos são construídos no decorrer do processo, é sistematizada pela forma de agir e de pensar o mundo que circunda as pessoas. Não é subordinada a burocracia, é dinâmica, visa a formação integral dos indivíduos, possui caráter humanista, existe intencionalidade, por isso, existem metas, objetivos, estratégias, sendo de grande relevância atentar para a função dos mediadores do processo, os educadores, facilitadores e monitores que trabalham com agrupamentos, pois são fundamentais no marco de referenciais no ato de aprendizagem, sendo importantíssimos para o conhecimento do processo socioeducativo do grupo, bem como o projeto político e cultural construído.
    Enfim, a educação não - formal objetiva a educação para a cidadania, para    a justiça social, para os direitos do cidadão, para a igualdade, democracia, contra a discriminação, exercício cultural e suas diversas manifestações, sendo dessa forma, uma modalidade educativa complementar das demais (formal e informal), pois todas juntas trabalham na formação integral e plena do ser humano, aperfeiçoando-o para o exercício de sua função como homem/mulher, cidadão, estudante, trabalhador, enfim, em todas as esferas que possam atuar como cidadãos do mundo, atuando no mundo à sua volta.